{RESENHA} As Vantagens de Ser Invisível - Stephen Chbosky

abril 09, 2017

Título: As Vantagens de Ser Invisível
Autora: Stephen Chbosky
Editora: Rocco
Número de Páginas: 223
Ano de Publicação: 2007
Skoob: Adicione
Compare e Compre: Amazon | Submarino | Saraiva
Nota: 5,0 + 
Sinopse:   Ao mesmo tempo engraçado e atordoante, As vantagens de ser invisível reúne as cartas de Charlie, um adolescente de quem pouco se sabe - a não ser pelo que ele conta nessas correspondências -, que vive entre a apatia e o entusiasmo, tateando territórios inexplorados, encurralado entre o desejo de viver a própria vida e ao mesmo tempo fugir dela. As dificuldades do ambiente escolar, muitas vezes ameaçador, as descobertas dos primeiros encontros amorosos, os dramas familiares, as festas alucinantes e a eterna vontade de se sentir “infinito” ao lado dos amigos são temas que enchem de alegria e angústia a cabeça do protagonista em fase de amadurecimento. Stephen Chbosky capta com emoção esse vaivém dos sentidos e dos sentimentos e constrói uma narrativa vigorosa costurada pelas cartas de Charlie endereçadas a um amigo que não se sabe se real ou imaginário. Íntimas, hilariantes, às vezes devastadoras, as cartas mostram um jovem em confronto com a sua própria história presente e futura, ora como um personagem invisível à espreita por trás das cortinas, ora como o protagonista que tem que assumir seu papel no palco da vida. Um jovem que não se sabe quem é ou onde mora. Mas que poderia ser qualquer um, em qualquer lugar do mundo.
 

Quando passamos por momentos difíceis na vida gostamos de desabafar, seja com alguém ou na forma de escrita para você mesmo, ou para alguma pessoa. E é assim que Charlie decide fazer, ele escreve cartas sobre a vida dele, os pensamentos dele, ele simplesmente desabafa nessas cartas, o que eu ainda tenho dúvidas se era para alguém avulso ou se não era para ninguém, prefiro pensar que seja para nós leitores. Então o livro todo é constituído por essas cartas, algo que eu amei muito, achei diferente.

É um livro que retrata um assunto muito delicado para a maioria, a depressão, e o livro inteiro você fica com vontade de chegar e ficar abraçada com Charlie quando ele fala que tem vontade de chorar. A visão dele sobre os momentos felizes, tristes, sobre tudo, é um ponto de vista de alguém depressivo, e no final do livro fica bem claro o quanto ele é perturbado.

"Eu acho que todo mundo é especial à sua própria maneira. É o que eu penso."


E não posso esquecer-me de Sam e Patrick, os dois melhores amigos de Charlie, e um dos melhores personagens também, não tenho muito para falar deles, mas amo.
E é lindo ver também como cada personagem cresceu durante toda a história.
Uma leitura leve, rápida e ao mesmo tempo profunda, não tem como não se apaixonar por essa obra maravilhosa. Assim como sugiro o livro, sugiro o filme também. Não fica atrás em nada do livro, as atuações, o roteiro, a trilha sonora, tudo muito lindo. 

"… e naquele momento eu seria capaz de jurar que éramos infinitos."

Veja mais posts

2 comentários

  1. Sou apaixonada pelo filme, mas nunca assisti ao livro :/
    Essa última frase me deixa arrepiada, ela é cheia de significados pra mim e sempre que a escuto/leio me sinto melhor <3

    Beijos ♡
    misinwonderland.blogspot.com

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e volte sempre.